3 de nov de 2011

O Sport é maior em torcida em Pernambuco pelo Instituto Plural

A pesquisa da vez: Pernambuco
qua, 21/09/11
por Vinicius Paiva |
Detalhamento da pesquisa:
Localidade: Estado de Pernambuco
Instituto: Plural Pesquisas
Amostra: 1200 entrevistados, entre 02 e 06 de abril de 2011
Margem de erro: 2,8 p.p.

"Se existe um estado do Nordeste com características peculiares no que se refere à configuração de suas torcidas, este seria Pernambuco. Longe de pertencer ao grupo dos “estados blindados” – RJ, SP e RS, onde a torcida por “forasteiros” não ultrapassa os 5%. Mas se a maioria dos nordestinos enaltece as forças que vem do sul (especificamente clubes cariocas ou paulistas), o mesmo não se verifica em Pernambuco. Por lá, os times locais é que ocupam 3 das 4 primeiras colocações no ranking. Ainda que percam força à medida com que se distanciam da região metropolitana do Recife. Vejamos:

Como podemos ver, a maioria da população pernambucana se divide entre o Sport (26%) e o Santa Cruz (16%). A partir de então, verificamos boa diferença até Flamengo (3º colocado, 8% dos entrevistados), Náutico e Corinthians (7% cada). Palmeiras e São Paulo (4%, ambos) completam os clubes com representação significativa no estado. Se ainda listarmos Vasco e Santos (cada qual com 1%), os clubes de fora totalizam 25% da preferência dos pernambucanos. Um número expressivo, sem sombra de dúvidas. Mas que ainda assim é inferior ao percentual do primeiro colocado.
Analisando as outras variáveis da pesquisa (sexo, faixa etária, escolaridade e renda), podemos chegar a outras conclusões interessantes. Entre os homens, o predomínio dos clubes de Pernambuco é ainda mais flagrante. Apesar de o Flamengo crescer um pouco, o Náutico o supera, saindo de 7% para 10% e assumindo a terceira colocação. O mesmo não se aplica quando nos referimos à idade dos torcedores. Quanto mais jovem, mais rubro-negros no estado: o Sport sobe para 33% da preferência daqueles entre 16 e 24 anos. Mas Flamengo e Corinthians vem junto, atingindo 10% dos entrevistados nesta faixa. O Santa mantem a vice-liderança, mas desaba para 12%, ameaçado pelos dois times de maior torcida no Brasil. E o Náutico também cai acentuadamente: apenas 4% entre os mais jovens.
No tocante ao grau de instrução, chama atenção o fato de 46% dos entrevistados com menor escolaridade não torcerem por time algum – o que faz despencar os percentuais de todos eles. Entre aqueles com maior instrução, novamente o “trio de ferro” do Recife se destaca: Sport 32%, Santa Cruz 18%, Náutico 11%. Corinthians e Flamengo perdem torcedores e surgem com apenas 5%. Sob a ótica da renda, infelizmente a pesquisa não analisa faixas acima de 2 salários-mínimos. Assim, famílias de baixa renda são agrupadas junto às mais ricas, prejudicando a análise. Contudo, é explícito o crescimento do Náutico entre os mais ricos (14%), reforçando o poder aquisitivo de seus torcedores.
Cabe ressaltar que os resultados desta pesquisa estão em linha com outra, elaborada pelo Instituto Mauricio de Nassau em agosto de 2009: http://bit.ly/nIORwQ . De acordo com esta última, o ranking seria: Sport (26,4%), Santa Cruz (15,7%), Náutico (8%), Flamengo (6,8%), Corinthians (4,8%), Palmeiras (3,8%) e São Paulo (3,7%). Os percentuais são bastante parecidos, e as variações entre uma e outra pesquisa podem perfeitamente ser atribuídas a questões relacionadas à margem de erro.
Mas não para por aí. O instituto Plural destrinchou ainda o perfil de Pernambuco por mesorregiões – algo bastante esclarecedor para se compreender de onde vem determinadas forças. Vamos a elas:
  
Lembram-se dos “estados blindados” citados no início da coluna? Pois bem, se a região metropolitana do Recife fosse um estado, seria um deles. Por lá, os times de fora simplesmente não tem vez – Flamengo e Corinthians atingem míseros 1%. Sport (40%), Santa Cruz (23%) e Náutico (11%) ditam a moda pela capital. O trio também é maioria na região da Mata Pernambucana – limítrofe à RM. Entretanto, a força dos três se reduz, abrindo espaço para um “perigo” que vem do sul, especificamente de São Paulo: o Corinthians. Já com 6% da Mata Pernambucana, o alvinegro ultrapassa Náutico e Flamengo e demonstra por que é o maioral na região que vem a seguir, o Agreste. Por lá, é Fiel na cabeça (15%), seguida de perto pelo Sport (14%).
Nas duas últimas regiões, as torcidas se apresentam como no resto do Nordeste. Sendo assim, não se pode pensar em outra que não a do Flamengo. Os rubro-negros do Rio dominam o Sertão Pernambucano (26%), seguidos pelo Corinthians (14%). Mas é na região do São Francisco que a Nação atropela: nada menos que 50% dos entrevistados, um recorde. São Paulo (8%) e Palmeiras (7%) ultrapassam o Corinthians (5%), e o Vasco se iguala a um enfraquecido Sport (4%).
De todo o exposto, concluímos que o Sport é a verdadeira potência em Pernambuco. A concentração de sua torcida no entorno da região metropolitana faz agregar valor à marca, pois cerca de 2/3 do PIB estadual se concentra por lá. O mesmo se aplica – em menor escala – à torcida do Santa Cruz, que ainda se beneficia de uma fidelidade impressionante, considerando os péssimos resultados de um clube que disputa apenas a série D. O Náutico surge como time da elite, mas se torna um traço estatístico em 2 das 5 regiões do estado. Flamengo e Corinthians disputam com o Timbu o 3º posto na preferência dos pernambucanos, e tendem a crescer à medida com que conquistam hordas de novos torcedores. Apesar disto, ambos prevalecem em regiões pouco abastadas do estado. O desafio é descobrir os caminhos que levam ao coração do torcedor do Recife.

Um grande abraço e saudações!"

0 comentários:

Postar um comentário

Campeonato Brasileiro Série A